sexta-feira, 15 de abril de 2016

Lei determina inclusão do peixe na merenda escolar da rede de ensino de São Luís

Os peixes são fontes de substâncias químicas que compõem as proteínas necessárias para o crescimento e a manutenção do corpo humano, possuem todos os aminoácidos essenciais para uma boa alimentação, além de serem boas fontes de cálcio, ferro e ácidos graxos como ômega 3, que é um componente fundamental na membrana externa das células cerebrais, por onde todos os sinais nervosos fluem, segundo especialistas.

O Brasil está entre os vinte países do mundo com as maiores costas marítimas e com suas inúmeras bacias hidrográficas, tem as maiores reservas de água doce. Mesmo assim, parece que os brasileiros não conhecem os benefícios do peixe na alimentação humana, porque a produção e o consumo é abaixo do que as características geográficas podem oferecer.

Na alimentação de crianças, o peixe é fundamental para o desenvolvimento escolar. O ômega 3 permite que os pequenos tenham boa memória, maior concentração, motivação, habilidades motoras, velocidade de reação e menos estresse. O pescado também é rico em vitaminas e sais minerais, essenciais para prevenir a anemia, manter o sistema imunológico forte.

Em São Luís, a Lei 249 de 21.05.2013, de autoria do vereador Armando Costa (PSDC), o Vereador Comunitário, obriga a inclusão do peixe no cardápio da merenda escolar da Rede de Ensino Municipal.

Segundo Armando, a inclusão do peixe irá ajudar no desempenho escolar dos alunos, além de estimular a produção e movimentar a comercialização do alimento na cidade. “A lei também beneficia a economia da capital. Na sala de aula, teremos estudantes mais atentos ao aprendizado, que será muito útil para eles no futuro”, destacou o vereador.

A prefeitura de São Luís tem que cumprir essa para garantir o desenvolvimento cerebral e nutricional das crianças que frequentam a Rede Municipal de Ensino. A melhoria da educação também é um alvo de trabalho do vereador Armando Costa, que luta diariamente para atender as necessidades das comunidades ludovicenses.

0 comentários:

Postar um comentário